• Rua Antonio Ricardo dos Santos, 299, Hauer, Curitiba, PR
  • (041) 99531-2501 | (41) 3081-0533
Rituais
Home \ Acender Velas
O ato sagrado de acender uma Vela
Primeiramente quando acendemos uma vela seja para que Entidade ou Guia, Santo, Orixá que for estamos procurando com este ato realizar um religare. O ato de acender uma vela é algo sagrado contido em várias culturas religiosas pelo mundo a fora, e deve-se ser feito com profundo respeito.

A vela do Anjo da Guarda

A cor da vela do Anjo da Guarda é branca. Primeiramente deve-se se escolher um lugar apropriado, limpo. De preferência utilizar um prato branco para colocar a vela, então esfregamos em nossas mãos onde mentalizamos o que queremos e o que estamos buscando alcançar com aquele ato, quando esfregamos as mãos estamos passando a nossa energia para a vela.
Coloca-se um copo de água do lado da vela, a água é vida, não se deve beber a água do anjo da guarda, a não ser que ela tenha um propósito de cura, caso contrário não se bebe, lembrando que essa forma de canalização sempre vem após uma recomendação de um guia que saberá orientar como deverá ser feito. Na água de anjo da guarda podemos notar que sua forma pode mudar apresentando um aspecto diferente de quando foi colocada, muitas vezes podem aparecer, bolhas, a água ficar turva, nebulosa, gordurosa, a água pode diminuir, pode sair fumaça dela, a água puxa muitas vezes a energia que a pessoa está, principalmente a negatividade que está sendo tirada. Lembrando que muitos desses sinais são ocorridos pela ação do magnetismo. Procure sempre depois que a vela apagar, jogar a água do copo no pé de uma planta forte e bonita, mas que não solte leite, e nem tenha espinhos.
O astral superior não entende nada de negativo, não pertence a sua sintonia energética. Então quando forem pedir algo, peçam sempre positivamente. Por exemplo: Ah meu Anjo da Guarda NÃO tenho saúde, NÃO consigo emprego, estou desesperado. Opte por rezar assim: Gratidão Meu Anjo da Guarda pela boa saúde, pela prosperidade e fartura, pela paz do meu lar. A força da palavra tem grande poder no plano astral.
Jamais deve-se acender uma vela sem ter um dono a qual está sendo ofertada. Caso contrário espíritos não muito idôneos podem se canalizar na mesma. Uma vela bem acesa emite sinais que muitas vezes podem surpreender, algumas chegam a mudar a cor da chama ficando azuladas, outras aumentam absurdamente de tamanho suas chamas, algumas chamas podem partir em duas, outras cospem labaredas. A vela é um dos mais antigos instrumentos de magia por isso que o ato de acender uma vela tenha que ser visto com maior responsabilidade e cuidado. E muita concentração para que não haja desvios de canalização.
Muitas vezes as pessoas acendem uma vela para o Anjo da Guarda achando que o Anjo precisa da Luz da vela, mas na realidade essa Luz é para nós mesmos, com esse ato estamos nos iluminando nos religando ao sagrado, trazendo ele mais perto de nós e para nossa proteção. Quando acendemos uma vela estamos em busca de Paz, de conforto, é o momento que estamos sobre as graças do divino.
Basta enxergar quando nossos guias firmam seus pontos e colocam suas velas, a forma com que manipulam, usam os elementos, as vezes nas situações tão costumeiras que muitas vezes passam desapercebidas pela desatenção dos médiuns, os médiuns deixam de aprender lições preciosas. A vela muitas vezes simboliza a destruição, mas também o renascimento.

ANTES DE ACENDER A VELA NO PLANO FÍSICO OBSERVE SE A VELA QUE AQUECE SUA ALMA TAMBÉM ESTÁ ACESA.